quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

MVC-WCC Magazine (10.02)



Próximos Jogos - MVC


Quarta-Feira (10/02)

Southern Illinois @ Indiana State
Loyola (CHI) @ Bradley
Missouri State @ Northern Iowa

Quinta-Feira (11/02)

Illinois State @ Evansville

Sábado (13/02)

Northern Iowa @ Wichita State
Drake @ Southern Illinois
Indiana State @ Missouri State

Domingo (14/02)

Bradley @ Illinois State
Evansville @ Loyola (CHI)

Próximos Jogos - WCC

Quinta-Feira (11/02)

Loyola Marymount @ Pacific
BYU @ San Francisco
San Diego @ Santa Clara
Pepperdine @ Saint Mary's
Gonzaga @ Portland

Sábado (13/02)

BYU @ Santa Clara
San Diego @ San Francisco
Pepperdine @ Pacific
Loyola Marymount @ Saint Mary's

Classificação - MVC



Evansville começou a semana perdendo para Northern Iowa por 57-54. Os Panthers montaram um esquema para dobrar em Balentine toda vez que o ala-armador encostasse na bola. Foi o suficiente para parar a principal arma ofensiva de Evansville. Balentine terminou o jogo com 9 pontos e pela primeira vez desde 22 de Fevereiro do ano passado, o jogador não anotou dois dígitos em pontos.

MiKyle McIntosh liderou Illinois State para a vitória contra Loyola (CHI). O ala fez 21 pontos, tendo 9-15 de FG. Os Redbirds tiveram ótimo aproveitamento de quadra: 58,3% de FG, sendo 50,0% da linha dos 3 pontos.

Wichita State ganhou sem dificuldades na partida contra Southern Illinois. Mesmo sendo uma das melhores equipes da MVC, os Salukis perderam os dois jogos para os Shockers por pelo menos 20 pontos. Este jogou marcou a vitória 221 de Coach Marshall, o que tornou-o o técnico com mais vitórias por Wichita State. Marshall ultrapassou o Hall of Famer Ralph Miller que teve 220-133 pelos Shockers entre 1951-64. Wichita State segue com a maior streak ativa de vitórias em casa em todo o país: 43.

Evansville se recuperou na partida contra Missouri State. Vitória por 83-64 e Balentine se tornou o maior cestinha da história do programa. Balentine alcançou 2.280 pontos na carreira no college e ultrapassou Colt Ryan. Jaylon Brown, com 19 pontos e 5 rebotes, foi outro destaque da partida.

Illinois State conseguiu quebrar a invencibilidade de Wichita State na regular da MVC desta temporada. Paris Lee teve sua career-high com 19 pontos no jogo, sendo 13 deles no segundo tempo. Mesmo com 27,3% de FG, Illinois State conseguiu passar por WSU. McIntosh errou todos seus 10 arremessos tentados. Deontae Hawkins foi outro destaque dos Redbirds com 14 pontos e 10 rebotes.

O banco de Loyola (CHI) tomou frente na vitória contra Southern Illinois. Dos 73 pontos dos Ramblers, 55 saíram do banco. Destaque para Montel James que teve 18 pontos e 11 rebotes. Pelo lado dos Salukis, Anthony Beane fez 18 pontos e pegou 11 rebotes e Sean O'Brien fez 17 pontos. Com a derrota, SIU perdeu a 3ª posição na MVC.

Wichita State não teve muitos problemas para se recuperar da derrota contra Illinois State. Os Shockers visitaram Drake e Coach Marshall rotacionou bem o time contra os Bulldogs. 15 jogadores de Wichita State entraram em quadra e 13 deles pontuaram. Apenas Shaquille Morris e Ron Baker ultrapassaram os dois dígitos de pontuação. Drake teve quase o dobro de turnovers de WSU e pagou com a derrota por tantos erros. Reed Timmer fez 20 pontos e pegou 5 rebotes; foi o maior destaque de Drake.

IDFC - MVC



Indiana State segue disparada como a equipe mais caseira da Missouri Valley Conference. Evansville assumiu a segunda posição por conta da derrota fora de casa e a vitória por 19 pontos em casa.

Northern Iowa continua baixando seu índice. Logo nas primeiras rodadas, os Panthers chegaram a alcançar mais de 60 pontos no Índice de Dependência do Fator Casa.

Drake sofreu dura derrota em Des Moines, Iowa, para Wichita State e teve seu índice reduzido de 24,5 para 13,4. Mesmo com essa vitória fora de casa, Wichita State perdeu para Illinois State na rodada anterior em Normal, Illinois. Quando jogou em casa, massacrou SIU, o que elevou seu índice de caseirismo.

Loyola (CHI), Missouri State e Southern Illinois são as equipes que possuem o índice negativo, isto é, não são dependentes de partidas sob seus domínios para obterem melhor desempenho.

Hall of Fame GTG - MVC
Junior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Sean O'Brien 9,5 3,0 0,0 1,0 1,0 3,0
Tyler Smithpeters 4,5 2,5 1,0 0,0 1,5 1,5
Bola Olaniyan 4,5 11,0 1,5 0,5 1,0 3,5
Milton Doyle 12,0 2,5 2,5 1,5 0,0 2,0
Jeremy Morgan 13,0 3,5 4,0 1,0 0,5 2,0
Jaylon Brown 10,5 3,5 2,0 0,5 1,0 1,0
Blake Simmons 5,5 1,0 1,0 0,0 0,0 2,0
David Howard 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 1,0
Duane Gibson 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Christian Benzon 5,0 1,0 1,0 0,0 0,0 0,0
Paris Lee 12,5 1,5 2,0 0,5 2,5 1,5
Tony Wills 4,5 3,5 1,0 1,0 1,0 0,5
Jacob Enevold 2,7 3,3 0,3 0,3 0,0 1,3
Tyler McCullough 4,5 5,0 0,0 0,5 0,0 0,5
Austin Ruder 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Zach Bush 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
John Robert Simon 2,5 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0

Semana fraca para nossos juniors comparando com a última magazine. Jacob Enevold, Zach Bush e John Robert Simon tiveram um jogo a mais do que os demais por conta da partida de ontem entre Wichita State e Drake. Jaylon Brown, Jeremy Morgan, Milton Doyle, Paris Lee e Bola Olaniyan foram os destaques desses últimos 10 dias. Sean O'Brien e Tyler Smithpeters caíram de produção.

Senior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Ron Baker 10,0 6,3 3,0 1,0 0,0 1,7
Fred VanVleet 8,3 2,0 7,7 0,0 2,0 1,7
D.J. Balentine 13,5 4,0 4,0 0,5 1,5 0,5
Egidijus Mockevicius 12,5 12,5 1,0 3,5 1,0 1,5
Anthony Beane 19,0 6,5 1,0 0,0 0,5 3,0

Nossos seniors também não tiveram semana tão produtiva. Baker e VanVleet viram suas stats cair por conta da maior rotatividade que Marshall deu aos Shockers.

Balentine teve péssima partida contra Northern Iowa, comprometendo o desempenho médio da semana.

Mockevicius e Anthony Beane tiveram semana melhor dentre os seniors.

Classificação - WCC



Saint Mary's começou o jogo contra BYU parecendo que venceria o confronto. No primeiro tempo terminou em vantagem com 37-33 no placar. Bom, mas não é muito fácil vencer BYU em Provo, Utah. Logo no segundo tempo, BYU meteu uma run de 13-2, assumindo a liderança no marcador. Chase Fischer e Kyle Collinsworth lideraram a virada e os Cougars venceram o jogo por 70-59. O insucesso dos Gaels veio do péssimo aproveitamento da linha dos 3 pontos: 26,1%.

Gonzaga venceu Loyola Marymount e assumiu a ponta da WCC por ter um jogo a mais. Quando Sabonis e Wiltjer resolvem jogar bem no mesmo jogo, fica complicado de parar os Bulldogs. Ambos somaram para 44 pontos (18-27 no FG) e 16 rebotes. Para ter ideia, o time inteiro de LMU pegou 25 rebotes. No primeiro tempo, Gonzaga converteu 63% dos arremessos, além de colocar run de 14-0. Quarta vitória seguida para os Bulldogs, que não perdem para LMU desde Fevereiro de 2010.

Falando em dificuldade em vencer BYU em Provo, Pacific mostrou que é possível. Os Tigers, liderados por Alec Kobre e T.J. Wallace conseguiram passar pelos Cougars e quebrar a streak de 17 vitórias em casa de BYU. O time de Collinsworth não converteu um arremesso sequer nos últimos 2:42 de jogo. Pacific abusou no FT, convertendo 25 dos 29 tentados. Upset completed.

Saint Mary's se recuperou da derrota para BYU ao vencer San Diego. Calvin Hermanson anotou 12 pontos, Dane Pineau cravou double-double com 10 pontos e 10 rebotes e Joe Rahon fez 13 pontos. Os Gaels venceram a batalha de rebotes por 46-30.

Gonzaga fechou a semana vencendo Pepperdine em Malibu. Mais de 53% dos pontos saíram diretamente das mãos de Wiltjer e Sabonis. Os dois combinaram para 37 pontos dos 69 feitos pelo time de Gonzaga. Sabonis, aliás, foi o melhor da partida. 20 pontos, 11 rebotes, 3 assistências e 12-12 na linha de lance livre.

IDFC - WCC



Com a derrota em casa de BYU para Pacific, o IDFC dos Cougars caiu e foi ultrapassado por Gonzaga, mesmo que o índice de Gonzaga tenha caído em relação à semana passada. Fechando o top 3, Pepperdine se manteve na mesma posição.

A sequência San Francisco, San Diego e Saint Mary's permaneceu a mesma, mas Portland caiu da 4ª para a 7ª posição, tendo seu IDFC cortado pela metade.

Pacific viu seu índice ficar positivo ao passar de -0,4 na semana passada para 3,9. Enquanto Santa Clara e Loyola Marymount continuaram negativas. A ordem mudou. LMU é o time menos caseiro da conferência. Só não pense que LMU joga bem fora de casa. Os Lions jogam mal dentro e fora de casa.

Hall of Fame GTG - WCC
Junior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Jared Brownridge 18,0 0,0 3,0 1,0 2,0 5,0
Nate Kratch 4,0 8,0 0,0 0,0 1,0 1,0
Dane Pineau 8,0 8,0 0,5 2,0 0,0 1,0
TJ Wallace 8,0 5,5 1,5 0,5 3,0 4,0
David Taylor 1,0 0,5 1,0 0,0 0,5 0,5
Lamond Murray Jr 12,0 4,0 1,0 0,5 1,0 0,5
Amadi Udenyi 2,5 4,0 6,0 0,0 1,5 3,0
Jeremy Major 3,0 2,0 5,0 1,0 0,5 0,5
Alec Wintering 24,0 7,0 6,5 0,0 1,0 3,0
Brett Bailey 2,5 4,5 0,0 1,0 0,5 1,5

Brownridge e Kratch jogaram apenas uma vez na semana e perderam para San Francisco. Ambos não tiveram boa atuação. Apesar dos 18 pontos de Jared, ele converteu 5 dos 15 arremessos tentados, sendo 0-6 de 3. Já nos FTs, 8-9.

Lamond Murray Jr e TJ Wallace tiveram semana abaixo de suas médias, mas Wallace teve ótima performance contra BYU, quando Pacific venceu os Cougars fora de casa.

Alec Wintering realmente é ótimo scorer. Go-to-guy contra Pepperdine e Loyola Marymount. Contra os Waves, Wintering converteu 7 dos 13 arremessos tentados, além de pegar 7 rebotes, dar 6 assistências e terminar com 19 pontos. Já contra LMU, Alec fez 29 pontos (10-16), pegou 7 rebotes e deu 7 assistências. Semana quente para o menino Wintering.

Senior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Tim Derksen 21,0 13,0 1,0 0,0 3,0 2,0
Kyle Collinsworth 13,0 10,5 5,5 1,5 2,5 3,0
Bryce Pressley 7,5 5,5 3,0 0,0 0,5 0,5
Stacy Davis 26,5 10,0 0,0 1,0 0,5 0,5
Przemek Karnowski 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0

Semana quentíssima para os seniors. Mesmo com as duas derrotas na semana, Stacy Davis manteve média de double-double. Pena que Pepperdine perdeu os dois close games (Portland e Gonzaga).

Portland, de Bryce Pressley, que venceu os dois jogos da semana. O desempenho de Pressley contra Pepperdine não foi tão bom, mas ele se recuperou contra LMU.

Kyle Collinsworth ficou próximo de mais um triple-double, anotando 17 pontos, 9 rebotes e 7 assistências contra Saint Mary's. Contra Pacific ficou a 1 ponto de cravar o double-double: 9 pontos e 12 rebotes para Collinsworth.

Time Derksen foi mais um destaque entre os seniors. Outro com média de double-dobule na semana, mas USF teve um jogo contra um time da NAIA nessa semana. San Francisco enfrentou a Menlo College no dia 2 de Fevereiro. As médias da semana de Derksen foram: 23,5 pontos, 11,5 rebotes, 1,0 assistências, 0,0 tocos, 1,5 roubadas de bola e 1,0 TOs. No jogo que fez pela regular conferencional, Derksen liderou os Dons para a vitória na OT contra Santa Clara.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Mountain West Magazine (08.02)



Próximos Jogos


Terça-Feira (09/02)

New Mexico @ Utah State

Quarta-Feira (10/02)

Boise State @ Colorado State
San José State @ UNLV
Air Force @ Nevada
San Diego State @ Fresno State

Sábado (13/02)

Wyoming @ Boise State
San José State @ New Mexico
Fresno State @ Nevada
Colorado State @ UNLV
Air Force @ San Diego State

Standings



Parecia que UNLV conseguiria vencer New Mexico em Albuquerque, mas os Lobos conseguiram colocar pressão em Big Zimm no segundo tempo, reduzindo o estrago que o freshman já havia feito. Zimmerman teve sua career-high no college com 21 pontos. Tim Williams foi fundamental para que New Mexico não tropeçasse em casa, anotando 29 pontos. Elijah Brown foi outro pilar de UNM com 26 pontos. A torcida dos Lobos também teve participação efetiva no jogo fechando o tripé (Williams-Brown-Torcida) para que os Lobos vencessem os Rebs.

Zimmerman que não teve muita sorte na partida contra Fresno State por conta de uma lesão no joelho. Big Zimm só teve 10 minutos de quadra antes que a contusão acontecesse. Na partida com duas OTs, os Bulldogs conseguiram vencer. Marvelle Harris anotou 37 pontos, pegou 9 rebotes e deu 7 assistências. Patrick McCaw fez 28 pontos e pegou 16 rebotes. Outro destaque foi Ike Nwamu com 27 pontos.

Ótima semana para Air Force. Os Falcons venceram duas vezes e largaram a lanterna da conferência. Na vitória contra Wyoming, a equipe foi liderada pelo junior Hayden Graham. Enquanto CJ Siples foi fundamental para o sucesso contra a forte Boise State.

San José State também terminou a semana sem perder. Ganhou o jogo que teve rs. O freshman Brandon Clarke teve sua career-high de rebotes no college contra Fresno State: 15. Engraçado que a maior marca havia sido contra os Bulldogs no jogo de ida (14 rebotes). Frank Rogers foi o cestinha com 17 pontos.

San Diego State continua vencendo seus jogos apertadamente. Colorado State (69-67) e New Mexico na OT. O big three ofensivo, Kell, Shepard e Hemsley, comandou as ações dos Aztecs. Contra os Rams, nos últimos 10 minutos e 30 segundos, San Diego State fez 21 pontos, 19 deles saíram do trio. Na OT contra New Mexico, apenas Shepard e Hemsley pontuaram.

Wyoming começou a semana perdendo par Air Force fora de casa. Na partida que fez em casa, contra Utah State, os Cowboys venceram com direito a homenagem a Kenny Sailors, recorde de bolas de 3 pontos do programa (20) e recorde de conversões de McManamen para 3 pontos (6).

MW e o NBA Draft

Josh Adams - Adams segue sendo meu favorito para MVP da MWC. Na semana não conseguiu evitar derrota para Air Force, mas fez 20 pontos, 8 rebotes e 4 assistências. Contra Utah State foi o Man of the Match com 19 pontos, 6 rebotes e 7 assistências com direito à vitória. Mais uma semana quente para Adams.

Malik Pope - Pope foi o 6th man nos dois jogos de San Diego State na semana. Anotou 10 pontos, 5 rebotes, 3 assistências e 3 tocos contra os Rams, e 3 pontos, 7 rebotes, 2 assistências e 2 roubadas contra New Mexico. Na magazine passada Pope esteve frio. Nessa ele esquentou.

Stephen Zimmerman - Big Zimm teve career-high em pontos contra New Mexico, mas se lesionou contra Fresno State. Ainda não se tem o grau da lesão. Semana triste para nosso freshman.

James Webb III - Webb foi o cestinha e liderou os Broncos na vitória contra os Aggies. Por outro lado foi anulado pelos Falcons e perdeu para a fraca Air Force. Semana fria para Webb.

Patrick McCaw - McCaw não foi capaz de evitar as duas derrotas de UNLV na semana. Mas se tem um cidadão que não teve culpa é McCaw. Partida regular contra New Mexico e um double-double monstruoso contra Fresno State: 28 pontos e 16 rebotes. O melhor na semana, individualmente.

IDFC - Mountain West Conference



Seguindo nosso acompanhamento do IDFC da Mountain West, na semana de cálculos do índice tivemos poucas alterações. Os quatro primeiros permaneceram inalterados quanto à ordem. Air Force, San José State, Fresno State e Wyoming venceram em casa e elevaram o IDFC.

UNLV perdeu os dois jogos fora de casa e também viu seu índice subir. Colorado State perdeu fora e venceu em casa; acabou ultrapassando San Diego State no ranking. Os Aztecs mantiveram o IDFC entre 7 e 8.

Utah State e Boise State permaneceram na mesma posição mesmo com uma elevação no IDFC de ambos.

New Mexico e Nevada inverteram a ordem e UNR está liderando como visitante mais complicado a enfrentar. Acredito que semana que vem os Lobos voltarão a este posto.

Pomeroy MW MVP



Em vermelho temos os MVPs da semana. Tim Williams foi MVP nos dois jogos de New Mexico e se juntou a Josh Adams e Princeton Ownas como MVP de um jogo em que sua equipe perdeu.

John Gillon (CSU), CJ Siples (Air Force) e Hayden Graham (Air Force) conseguiram ser MVPs pela primeira vez nessa temporada na regular conferencional.

Josh Adams segue liderando a Mountain West com cinco MVPs.

Para sempre Kenny Sailors



Na primeira magazine da Mountain West nós contamos a história do título do torneio nacional de Wyoming em 1943 com direito a vitória no confronto contra o vencedor da NIT. Em outras palavras, venceu o NCAA Tournament e um duelo contra o campeão da NIT. Sailors era o grande líder dos Pokes.

Sailors viveu parte de sua vida no Alaska, mas ele considerava o estado de Wyoming como sua casa. Nasceu em 14 de Janeiro de 1921 em Bushnell, Nebraska. Em 1930 se mudou, com a família, para Laramie, Wyoming. Por lá Kenny fez seu High School na Laramie High School (1935-1939), onde conseguiu uma vaga na University of Wyoming.

Sailors foi o inventor do jump shot e ele usava esse artifício para tentar vencer seu irmão mais velho (e mais alto). Segundo Kenny, ele tinha por volta de 5'7" de altura e seu irmão 6'5". Pulando para arremessar, ele poderia tirar essa desvantagem de tamanho e utilizar sua agilidade para vencer seu irmão. À medida que o tempo foi passando, Sailors foi aperfeiçoando seu jump shot. Feito que marcaria a carreira de Kenny e a história do basquete.

Na universidade, ele era multi esportista, mas o Coach Everett Shelton queria o especializar no basquete. Na época, Sailors e seu companheiro de time Jim Weir foram sondados a se transferirem para a universidade de Utah, uma das melhores da época (inclusive campeã de 1944), mas a mãe de Kenny impediu a transferência.

Bom, Sailors é disparadamente o maior jogador da história de Wyoming. Nomeado quatro vezes para o All-Big 7 Conferences, duas vezes consenso College All American (1943 e 1946), duas vezes AAU (Amateur Athletic Union) All-American (1943 e 1946), na época em que AAU tinha o melhor basquete do país. Aliás o único jogador nomeado ao AAU, entre 1935-1962, enquanto estava no college. Most Outstanding Player em 1943, além de ter record de 82 vitórias e 17 derrotas, com 51-15 on the road, nos quatro anos que passou em Wyoming. Sem contar as cinco vezes que jogou no Madison Square Garden com os Cowboys, vencendo todas as cinco partidas.

Jogou na BBA (Basketball Association of America) e na NBA somando cinco temporadas como profissional. Passou por Cleveland Rebels, Chicago Stags, Philadelphia Warriors, Providence Steamrollers, Denver Nuggets, Boston Celtics e Baltimore Bullets, nesta ordem. Somou 276 jogos com médias de 12,6 pontos e 2,8 assistências por partida. Liderou uma ou mais stats várias vezes.

Sailors foi eleito um dos 75 melhores jogadores da NCAA de todos os tempos em 2012, foi selecionado para National Collegiate Basketball Hall of Fame e teve seu nome indicado ao Naismith Basketball Hall of Fame. Sua camisa número 4 está pendurada no Arena Auditorium. Uma estátua de seu jump shot está sendo construída e pode ser inaugurada em 2017.



Na partida contra Utah State, no dia 6 de Fevereiro, os jogadores de Wyo usaram uma camisa com o número 4 em homenagem a Kenny Sailors.



O pioneiro do jump shot faleceu no dia 30 de Janeiro desse ano e deixou esse legado tanto para o basquete quanto para a universidade de Wyoming. Podemos dizer, tranquilamente, que Sailors revolucionou o basquete.

Abaixo deixo alguns vídeos de Kenny Sailors.

A história dele, contada por ele. Jump Shot - The Kenny Sailors Story. Tente não se emocionar:




Leap of Faith é um documentário da Wyoming PBS e Geoff O'Gara sobre Sailors:



Algumas jogadas do título 1943 (Parte I):



Algumas jogadas do título 1943 (Parte II):

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

MVC-WCC Magazine (01.02)



Próximos Jogos - MVC


Terça-Feira (02/02)
Drake @ Indiana State
Bradley @ Missouri State

Quarta-Feira (03/02)
Evansville @ Northern Iowa
Illinois State @ Loyola (CHI)
Southern Illinois @ Wichita State

Sábado (06/02)
Missouri State @ Evansville
Northern Iowa @ Drake
Loyola (CHI) @ Southern Illinois
Indiana State @ Bradley
Wichita State @ Illinois State

Próximos Jogos - WCC

Quinta-Feira (04/02)
Saint Mary's @ BYU
Gonzaga @ Loyola Marymount
Pacific @ San Diego
Portland @ Pepperdine

Sábado (06/02)
Pacific @ BYU
Portland @ Loyola Marymount
Saint Mary's @ San Diego
Santa Clara @ San Fracisco
Gonzaga @ Pepperdine

Classificação - MVC


Wichita State ficou com a taça na mão. Ontem os Shockers venceram Evansville, fora de casa, e praticamente sacramentou o título da regular conferencional da Missouri Valley. Fred VanVleet teve um jogo perfeito. 32 pontos, career high, o primeiro Shocker a fazer 15 FTs em 15 tentados desde 1963 e a vitória por 78-65. D.J. Balentine fez 18 pontos e Mockevicius 16 pontos e 12 rebotes, mas não puderam evitar a derrota.

Southern Illinois perdeu fora de casa para Northern Iowa, complicando suas chances de título. O próximo jogo é contra Wichita State fora de casa. Bennett Koch fez 22 pontos e pegou 11 rebotes pelos Panthers, enquanto Sean O'Brien e Anthony Beane combinaram para 30 pontos e não conseguiram levar os Salukis ao sucesso nesse jogo.

Wichita State ainda tem oito jogos pela frente e dificilmente perderá três deles. Questão de tempo para receber o troféu.

IDFC - MVC



Indy State segue liderando o 'caseirismo' da MVC. Drake subiu da 4ª para a 2ª posição em relação à última magazine. Esperava o índice de Wichita State negativo, mas a vitória massacrante em casa contra Loyola (CHI) fez o IDFC ultrapassar a marca zero. Já Evansville, com a vitória fora de casa contra SIU e a derrota em casa para WSU, viu seu IDFC ser cortado pela metade.

Pelo lado negativo, ou seja, os visitantes indigestos, temos Missouri State e Southern Illinois. Na última magazine, Mizzou St tinha o IDFC mais negativo, mas perdeu a posição para os Salukis nessa semana.

Hall of Fame GTG - MVC
Junior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Sean O'Brien 15,0 6,5 3,5 0,5 1,5 0,5
Tyler Smithpeters 5,5 5,5 1,5 0,5 0,5 1,5
Bola Olaniyan 7,5 7,0 1,0 0,0 1,0 1,5
Milton Doyle 10,0 5,0 4,0 0,0 1,0 2,5
Jeremy Morgan 7,5 5,0 1,5 1,0 4,0 1,5
Jaylon Brown 11,0 2,5 2,5 0,0 1,5 3,5
Blake Simmons 3,5 0,5 0,5 1,0 0,5 1,5
David Howard 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Duane Gibson 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Christian Benzon 2,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0
Paris Lee 6,5 3,0 4,5 0,0 2,0 4,5
Tony Wills 4,5 2,5 4,5 1,0 2,0 1,5
Jacob Enevold 3,5 3,0 0,0 0,5 0,5 1,5
Tyler McCullough 4,0 4,0 1,5 0,5 0,0 2,0
Austin Ruder 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0
Zach Bush 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0
John Robert Simon 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0

Semana boa para Sean O'Brien, Bola, Olaniyan, Milton Doyle e Jaylon Brown. Paris Lee, Jacob Enevold e Tyler Smithpeters caíram produção em relação à semana passada. Acredito que o trio O'Brien, Olaniyan e Brown estarão concorrendo ao Senior HoF da temporada que vem.

Senior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Ron Baker 8,5 6,0 3,0 1,0 3,5 1,5
Fred VanVleet 20,0 3,0 5,5 0,0 1,0 1,0
D.J. Balentine 21,5 4,0 3,5 0,0 0,5 3,5
Egidijus Mockevicius 13,0 10,0 0,5 2,5 1,0 1,0
Anthony Beane 23,0 5,5 1,5 0,0 0,0 5,0

Apenas Ron Baker não teve uma boa semana dentre os seniors. Aliás, que semana de VanVleet, principalmente contra os Purple Aces. Detalhe que mesmo com os 20 pontos de média e as 5,5 apg, Vleet cometeu apenas 1 turnover em cada jogo. Mockevicius, apesar da média de double-double nos dois jogos, caiu a produção. Balentine segue fazendo 20+ pontos por jogo. Sensacional.

Senior Class Award - MVC e WCC
Essa premiação é dada tanto para men's basketball quando para women's basketball. Para participar, é necessário que o jogador passe os quatro anos jogando o college (não necessariamente pela mesma universidade), ou seja, complete a college career, e tem quatro critérios: trabalho com a comunidade, dentro de sala, caráter e competitividade.

O intuito é usar a influência do jogo para se tornar um líder, uma referência para a comunidade, tanto universitária, quanto sociedade.

A lista era de 60 nomes e agora foi cortada para 30 candidatos. Em fevereiro restarão apenas 10. Então a mídia, técnicos e torcedores escolherão um representante masculino e feminino referência nos critérios acima citados.

Vamos aos nomes:

Men's Basketball

Ryan Arcidiacono - Villanova
Craig Bradshaw - Belmont
Malcolm Brogdon - Virginia
John Brown - High Point
Kyle Collinsworth - BYU
Rapheal Davis - Purdue
Perry Ellis - Kansas
Obi Emegano - Oral Roberts
Phil Forte - Oklahoma State
Chris Fowler - Central Michigan
Mike Gesell - Iowa
Shaq Goodwin - Memphis
Buddy Hield - Oklahoma
Peter Hooley - Albany
Amile Jeferson - Duke
Cedric Kuakumensah - Brown
Egidijus Mockevicius - Evansville
Nic Moore - SMU
Georges Niang - Iowa State
Etan O'Day - Vermont
Marcus Paige - North Carolina
Alex Poythress - Kentucky
James Robinson - Pittsburgh
Justin Sears - Yale
Shavon Shield - Nebraska
Denzel Valentine - Michigan State
Fred VanVleet - Wichita State
Thomas Walkup - Stephen F. Austin
Jameel Warney - Stony Brook
Kyle Wiltjer - Gonzaga

Women's Basketball

Jillian Alleyne - Oregon
Ashley Beverly Kelly - Troy
Imani Boyette - Texas
Adut Bulgak - Florida State
Ruvanna Campbell - Illinois at Chicago
Cait Craft - Ohio State
Elisha Davis - Arizon State
Aundrea Gamble - Arkansas State
Ruth Hamblin - Oregon State
Nikki Hegstetter - Alabama
Bria Holmes - West Virginia
Malina Howard - Maryland
Marissa Janning - Creighton
Moriah Jefferson - Connecticut
Chanise Jenkins - DePaul
Jonquel Jones - George Washington
Jordan Jones - Texas A & M
Whitney Knight - Florida Gulf Coast
Zahna Medley - Texas Christian
Kelsey Minato - Army West Point
Tiffany Mitchell - South Carolina
Janelle Perez - Northwestern State
Shereesha Richards - Albany
Raquel Scott - Holy Cross
Breanna Stewart - Connecticut
Rachel Theriot - Nebraska
Elle Tinkle - Gonzaga
Kaylon Williams - Oklahoma
Elizabeth Woods - Maine
Michelle Woods - Miami (FL)

Classificação - WCC



Gonzaga venceu duas vezes na semana e segue sua caça aos Gaels. Saint Mary's venceu a Pacific fora de casa e tem jogo importante fora de casa contra BYU na quinta-feira.

Wiltjer fez 35 pontos na partida contra Santa Clara, sendo 23 no primeiro tempo, e Domantas Sabonis cravou seu 12º double-double da temporada para que os Bulldogs pudessem passar pelos Broncos. A dupla, juntamente com Silas Melson, combinaram para 45 pontos (15 para cada) para que Gonzaga vencesse San Francisco e terminasse a semana 2-0.

Jared Brownridge fez 15 pontos no jogo contra Gonzaga e não conseguiu evitar a derrota. Mas na partida contra Portland, Brownridge anotou 38 pontos e comandou Santa Clara na vitória sobre os Pilots. Alec Wintering anotou 31 pontos e não conseguiu evitar o revés.

Stacy Davis fez 25 pontos na vitória de Pepperdine sobre San Diego por 75-65. Lamond Murray Jr combinou para 33 pontos nos dois jogos dos Waves na semana, no qual terminaram com uma vitória e uma derrota. Na vitória de BYU sobre Pepperdine, Kyle Collinsworth fez um double-double anotando 24 pontos e 10 assistências. Aliás, Collinsworth é o 4º no ranking de assistências do país.

Por que eu estou falando deles? São nossos Juniors e Seniors. Semana quente para os pré-selecionados ao Hall of Fame.

Hall of Fame GTG - WCC
Junior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Jared Brownridge 26,5 1,5 1,5 0,0 2,0 2,0
Nate Kratch 5,5 6,0 1,0 1,0 1,0 0,5
Dane Pineau 6,0 6,0 0,0 1,0 3,0 1,0
TJ Wallace 17,0 5,0 2,0 1,0 0,0 3,0
David Taylor 0,0 1,0 0,0 1,0 0,0 1,0
Lamond Murray Jr 16,5 5,0 0,5 0,5 0,0 2,0
Amadi Udenyi 7,0 2,5 4,0 0,0 1,5 1,0
Jeremy Major 9,0 1,5 5,0 0,0 3,0 1,5
Alec Wintering 27,5 3,0 5,5 0,5 3,0 3,5
Brett Bailey 4,0 3,5 0,5 0,0 0,0 2,0

Ótima semana para Brownridge, Lamond Murray Jr e Alec Wintering. T.J. Wallace fez boa partida contra Saint Mary's no único jogo de Pacific nos últimos 7 dias.

Senior Pts Reb Ast Blk Stl TO
Tim Derksen 9,5 6,5 2,5 0,5 0,5 1,0
Kyle Collinsworth 17,5 4,5 9,0 0,0 2,0 3,5
Bryce Pressley 13,0 3,5 2,5 0,5 2,0 0,0
Stacy Davis 16,5 7,5 2,0 1,5 0,0 4,0
Przemek Karnowski 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0

Pelo lado dos seniors, Kyle Collinsworth é o maior destaque mais uma vez. Stacy Davis errou muito contra BYU e foi um dos fatores principais na derrota de Pepperdine. Foram 7 TOs e 3-9 no FG, além de ter cometido 4 faltas.

IDFC - WCC


BYU segue liderando como a equipe mais caseira da WCC e nessa semana receberá Saint Mary's. Jogo importantíssimo para os Gaels olhando para o título da regular conferencional.

Gonzaga assumiu o segundo posto pelas quedas do IDFC de Pepperdine e Portland.

Santa Clara e Loyola Marymount seguem com IDFC negativo e inverteram a ordem em relação à última apuração. Pacific, com a derrota em casa para Saint Mary's, entrou no quadro de times com IDFC negativo.

Por trás do sucesso de Saint Mary's


(Emmett Naar converteu 57,1% dos arremessos de 3. Segundo melhor no país)

Se olharmos para o ranking de Eficiência Ofensiva Ajustada, de início veremos três times da ACC: Duke, Notre Dame e North Carolina, nessa ordem. Em seguida vem a equipe de Oklahoma. Fechando o top 5: Saint Mary's. Sem ajustar a Eficiência Ofensiva, ou seja, sem fazer a regressão e ponderar em relação à média geral, em outras palavras, Offensive Efficiency Raw, Saint Mary's lidera o país inteiro.

É uma equipe que tem jogo bem cadenciado e podemos ver isso ao ponderar as posses por 40 minutos, ajustando o tempo em relação ao oponente. Saint Mary's tem o quinto jogo mais lento do país. Comparando com North Carolina, que é o 36º mais rápido, SMC teria 63,3 posses, enquanto UNC teria 73,3. É um número bem relevante.

Saint Mary's ataca, em média, com 19,2 segundos no relógio, sendo a 16ª equipe que mais precisa de tempo para definir suas jogadas. Ainda pegando UNC como parâmetro, o time de Paige define em 14,9 segundos, dando o 13º lugar como mais rápido.

Dentro da poderosa força ofensiva dos Gaels, temos o melhor eFG% do país com 62,1%, onde é apenas o 16º em TO%. Olhando o aproveitamento de Saint Mary's, 3P% é de 44,7 e 2P% é de 59,0, ambos o segundo melhor da liga. Pelo lado de TO%, é o 14º de toda NCAA D-I em steal percentage. Mesmo em situação de block percentage, a equipe figura no top 40.

O estilo de jogo é fundamentado na cadência, como podemos ver, e na alta rotação de bola para encontrar a melhor posição de arremesso. 63,7% dos arremessos convertidos vêm de assistências (16ª maior taxa da liga), sendo que 35,9% dos pontos feitos são do perímetro. Esse percentual é o 39º maior do país, 6,3% mais alto que a média. O time não utiliza muito o jogo de garrafão, portanto não vai muito à linha de lance livre. Ocupam a 6ª posição na taxa de distribuição de pontos em FTs.

Bom, é uma equipe altamente eficiente no ataque e muito jovem. A experiência média da equipe é apenas de 1,00 ano, 0,70 mais jovem que a média. 16º time mais novo da liga. Os Gaels têm muito a evoluir e possuem grande potencial. Provavelmente estarão presente no torneio de Março e é um time a ser visto com muita atenção.

A história de um gigante adormecido - University of San Francisco



Dentro da WCC temos uma universidade que já dominou o país duas vezes e foi referência nacional durante mais de três décadas. É o programa mais vitorioso da West Coast Conference (acredite se quiser), vencendo uma NIT e duas vezes o NCAA Tournament. De quebra, possui bagagem de três Final Fours e sete Elite Eight. Além de contar com 16 títulos da regular conferencional e uma vez campeã do torneio de conferência. Desde 1985 sem ganhar uma regular conferencional, desde 1998 sem vencer o torneio conferencional e desde 1984 sem enviar alguém à NBA (Ime Udoka se transferiu e terminou sua college career em Portland State), USF saiu de foco na NCAA.



Os anos de glórias começaram sob o comando de Pete Newell em 1946. Em 1949, Coach Newell alcançou seu primeiro triunfo ao vencer a NIT, derrubando Loyola (CHI) na final por 48-47. Bom, hoje em dia a NIT não tem o prestígio que tinha na época, mas ser campeão da NIT era comparável à Copa do Brasil (relacionando o nível de importância com o futebol). Em 1950, Newell seguiu caminho para University of California onde conquistara o país em 1959. Posteriormente comandou a seleção americana de basquete para o ouro olímpico em 1960. Certamente foi uma das figuras mais marcantes da história do basquete.

O sucessor de Newell, em San Francisco, foi Phil Woolpert. Woolpert teve record de 153-78 comandando os Dons e inclusive cravou o record de vitórias seguidas, 60, que seria batido por John Wooden com 88 vitórias consecutivas em UCLA. Coach Woolpert conquistou duas vezes o país por USF: em 1955 e 1956, além de um terceiro lugar em 1957. Na época, foi o técnico mais jovem a conseguir tal feito.

Um dos principais responsáveis pelos títulos de 1955 e 56 foi um rapaz chamado Bill Russell. Russell foi ignorado pelos majors-programs e só foi chamado para San Francisco após scouters da universidade assistirem jogos de Bill. Russell viu no basquete a única oportunidade de sair da pobreza e ajudar no combate ao racismo, problema muito forte na época (hoje em dia ainda ocorre, infelizmente). O que chamou a atenção no jogo de Russell não era sua habilidade de pontuar, mas sim seu espírito de liderança, sua defesa e por ser clutch. A leitura de jogo de Russell era muito acima de média. Woolpert estava longe da concepção de racista e foi o primeiro técnico a ter três integrantes negros no time na NCAA: Bill Russell, K.C. Jones e Hal Perry.



Bom, nem todos pensavam assim. Eles tiveram grandes problemas durante suas viagens e jogos fora de San Francisco. Um exemplo foi em Oklahoma City, onde os hotéis se recusaram a hospedar o trio em 1954. Como forma de protesto, o time inteiro decidiu acampar em um dormitório de uma universidade; posteriormente a experiência seria contada como importante para o agrupamento do time.

Passando por esses capítulos que não poderiam deixar de ser ditos, Russell liderou os Dons para dois títulos da NCAA (1955 e 56), onde conseguiram a incrível marca de 55 vitórias consecutivas nesse intervalo de tempo. Bill alcançou, também, a incrível marca de 13 tocos num jogo; e John Wooden o elegeu como o maior defensor que ele já viu jogar. Durante sua passagem pelo College, Russell teve médias de 20,7 pontos e 20,3 rebotes por jogo.



Woopert permaneceu em USF por 9 anos e ficou conhecido por revelar muitos talentos especificamente da Bay Area.

Nos anos 60 e 70, USF ainda conseguiu mais quatro participações na Elite Eight (1964, 65, 73  74). Os Dons ainda mantiveram o status de um programa gigante numa mid-major conference, mas as décadas de 60 e 70 foram completamente dominadas por John Wooden com UCLA. Entre 1972-1982, os Dons venceram a conferência oito vezes, sendo de 1977-1982 de forma consecutiva. Em 1977, USF conseguiu record de 29-0, #1 no país, até perder os últimos dois jogos. O center Bill Cartwright liderou o time para vencer a temporada regular conferencional naquele ano.

Nos anos 80, os Dons tiveram problemas com violações de conduta na NCAA. Foi descoberto o pagamento para jogadores ou suas famílias para mantê-los no programa. USF men's basketball começou a balançar por ser culpado nas acusações e sofreu xeque-mate quando o guard Quintin Dailey foi julgado culpado em um caso em que ele violentou uma estudante. Dailey ainda disse que um cidadão ligado à USF o mantinha financeiramente com um emprego fantasma numa empresa. O Rev. John Lo Schiavo se viu na obrigação de fechar o programa, em Julho de 1982, para manter o respeito dentro da universidade e rever o programa como um todo. A decisão do de Lo Schiavo repercutiu no mundo inteiro e até a Rainha Elizabeth II pediu para que Rev. John reabrisse o programa.

Em 1985, o programa de basquete de USF foi reaberto e o técnico da vez foi Jim Brovelli, no qual ficou até 1995. Em 1998, San Francisco conseguiu voltar ao NCAA Tournament sob o comando de Phil Matthews. Jessie Evans, em 2005, e o atual técnico Rex Walters, em 2014, conseguiram chegar ao NIT, mas não venceram.

Alguns jogadores dos Dons chegaram à NBA e inclusive foram campeões, como: Joe McNamee, Bill Russell, K.C. Jones (como assistente e técnico também), Phil Smith, Eric Fernsten e Bill Cartwright.

San Francisco Dons foi eleito o 29º Greatest College Basketball Program of All-Time pela Street & Smith magazine, 49º Greatest Programs os All-Time pela NBC Sports e 75º All-Time College Basketball Rankings pela ESPN/Sagarin. A colocação mais alta dentre todos os programas da West Coast Conference. É de fato, um gigante adormecido nessa WCC.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Mountain West Magazine (31.01)




Próximos Jogos

Terça-Feira (01/02)

UNLV @ New Mexico
Wyoming @ Air Force
Utah State @ Boise State
Colorado State @ San Diego State

Quarta-Feira (02/02)

Fresno State @ San José State

Sábado (06/02)

Boise State @ Air Force
New Mexico @ San Diego State
Nevada @ Colorado State
Utah State @ Wyoming
UNLV @ Fresno State

Classificação



Contenders da temporada - San Diego State, Boise State e UNLV
Pretenders da temporada - New Mexico e Fresno State
Íbis da Temporada - San José State

Trey Kell parece ter desencantado. Na partida contra Nevada, Kell conseguiu seu primeiro double-double em sua college career. Nevada liderou o jogo até restar seis minutos no relógio, quando Winston Shepard, Jeremy Hemsley e Trey Kell lideraram a virada. Restando 2.1 segundos para o jogo terminar, a vantagem era de 1 ponto para SDSU. UNR colocou Zylan Cheatham no FT e ele converteu os dois. Marqueze Coleman errou o at the buzzer e os Aztecs conquistaram sua 7ª vitória seguida on the road na Mountain West.

Wyoming venceu o primeiro tempo e parecia ter o controle do jogo. Mas logo no início do segundo tempo, os Bulldogs conseguiram uma run de 11-3 dando a liderança a Fresno State. Wyo perdeu o rumo e Fresno State conseguiu segurar os Cowboys e deixá-los por mais de sete minutos sem marcar. Nesse intervalo de tempo, FSU conseguiu construir uma vantagem de 10 pontos. Os Pokes perderam, apesar dos 32 pontos de Josh Adams.

No grande jogo do meio de semana, UNLV lotou Thomas & Mack Center para receber Boise State. Vencer o jogo era importante para dar forças para a partida de sábado contra San Diego State. Patrick McCaw estava inspirado. Converteu cinco bolas de 3 e UNLV conseguiu tirar a vantagem de 8 pontos que os Broncos construíram no primeiro tempo. Big Zimm e Derrick Jones Jr tiveram partida importante parando James Webb III e Nick Duncan. O jogo era especial para Mikey Thompson, de Boise State, porque UNLV prestaria homenagem a seu pai, Freddie, que jogou pelos Rebels na década de 70. Freddie faleceu no ano passado. Motivado pelas homenagens, Mikey foi o cestinha de BSU, mas mesmo assim não conseguiu evitar a derrota para UNLV.

Na Border War, vitória para Wyoming. O perímetro foi fundamental para Wyo vencer a partida contra os Rams, já que os Cowboys cederam muitos rebotes ofensivos. Tiels Daniels pegou oito rebotes ofensivos no jogo. McManaman teve career-high nos 3 pontos com cinco conversões. Josh Adams liderou Wyo mais uma vez, fez 28 pontos e foi o Man of the Match.

San Diego State foi ao Thomas & Mack Center para complicar a vida de UNLV. A sequência de UNLV não foi nada fácil e ainda tem New Mexico e Fresno State fora de casa pela frente. A sequência foi: at Nevada (clássico), vs Boise State, vs San Diego State, at New Mexico e at Fresno State. A torcida foi em peso para apoiar os Rebels, lotaram a arena, mas não deu. É incrível ver o trabalho de switches, comunicação defensiva e leitura de jogo dos Aztecs. Pouquíssimos erros, pouquíssimas vezes deixam em situações de wide open e é o fator crucial para o sucesso de San Diego State. Na minha opinião, UNLV deveria ter explorado mais o jogo de garrafão e ter tirado vantagem no low post com Zimmerman, Carter e Jones Jr. O problema é que Ben Carter machucou o joelho quando tinha apenas 5 minutos de quadra. Do jeito que o joelho dobrou, seria muita sorte se ele não perder o restante da temporada. San Diego State levou apenas 5 dos 23 arremessos de 3 que UNLV tentou, e os Rebs, mais uma vez, tiveram problemas na linha do lance livre (33.3%). SDSU estava vencendo por 10 pontos até restar 5 minutos para acabar o jogo. Sabe o que isso significa?



Que já são 159 jogos, contando com o de ontem, que os Aztecs vencem quando estão liderando o placar nos últimos 5 minutos. San Diego State varreu UNLV nas últimas duas temporadas, incluindo os jogos de torneio. Olho nesse time em Março.

MW e o NBA Draft

Josh Adams - Adams teve ótima semana, anotando 32 pontos contra FSU e 28 pontos na Border War. Continuo afirmando que merece uma chance na NBA, assim como Nance Jr está tendo.

Malik Pope - Pope não teve muito tempo de quadra nessa semana, mas cumpriu seu papel defensivo quando entrou no jogo. Semana bem fria para Pope.

Stephen Zimmerman - Zimmerman teve ótima partida contra Boise State parando Webb e foi subutilizado contra San Diego State. Big Zimm vem mostrando bela evolução no seu jogo de mid-range. Quando ao aspecto defensivo, é acima da média. Estão cotando Zimm para o segundo round, seria uma steal e tanto.

James Webb III - Webb teve semana não tão boa. Só não foi mais fria que Pope. Acumulou duas derrotas nos dois jogos da semana, foul trouble nos dois jogos e eficiência ofensiva abaixo de sua média.

Patrick McCaw - McCaw teve partida mágica contra Boise State e é o termômetro de UNLV. Quando McCaw faz mais de 14.9 pontos e converte +50% dos arremessos, UNLV vence. Quando converte menos de 33% dos arremessos e faz menos de 9 pontos, UNLV perde. Depois de 3 jogos seguidos roubando pelo menos 4 bolas, não conseguiu mostrar eficiência defensiva contra San Diego State. Semana Roller Coaster para McCaw. Foi do céu ao inferno.

IDFC - Mountain West Conference



Air Force e San José State se consolidando como as mais caseiras da Mountain West Conference. Wyoming quase dobrou seu índice em relação à semana passada. Avisei que Wyo era mais caseira do que o índice estava apresentando. A derrota em casa de UNLV para SDSU fez com que UNLV caísse da 2ª para a 6ª posição. Utah State, Boise State, Nevada e New Mexico brigam como visitantes indigestos, mas acho difícil tirarem esse título de New Mexico. Fator importante para o torneio da MW.

Pomeroy MW MVP



Em vermelho podemos ver os jogadores que foram MVPs durante os jogos da semana. Adams foi o único que conseguiu ser MVP nos dois jogos que fez. Inclusive se juntou a Princeton Onwas como MVP em um jogo que seu time perdeu.

Skylar Spencer foi MVP do grande jogo da semana entre San Diego State x UNLV. O que ele defendeu não foi brincadeira. O senior deu trabalho para Big Zimm quando Zimmerman foi acionado. O trabalho foi facilitado pela dificuldade de UNLV em envolver SDSU e ter um gameplan decente. Um dos fatores que UNLV poderia tirar vantagem contra San Diego State era na batalha por rebotes. SDSU não é tão bom nos rebotes, mas cuidou desse problema na partida contra os Rebels. 44x27 no duelo e Spencer foi responsável diretamente em 9 deles.

Elijah Brown vai brigar com Josh Adams pelo título de MVP da Mountain West dessa temporada. O filho de Mike Brown vem fazendo ótimo campanha e nessa semana teve 23.5 pontos de média, além de 4 rebotes e 3.5 assistências de média.

Nenhum de nossos Juniors da lista de HoF cravou o MVP de algum jogo. Mesmo com D.J. Fenner marcando 21 pontos contra Utah State, o Kenpom deu MVP para Tyron Criswell. Confesso que não estou muito contente com esses Juniors,

Por trás do sucesso defensivo de San Diego State

San Diego State se consolidou como a segunda melhor defesa em eficiência ajustada do país cedendo 89.0 pontos em 100 posses. O time não se importa muito em roubar a bola, já que é apenas o 262º em steal percentage. A preocupação maior é em não deixar espaço para que o adversário arremesse confortavelmente.

O time é composto por atletas muito físicos, altos e com wingspan acima da média. Capazes de trocar marcação como nenhum time do país faz, além de ótima cobertura em screens. A filosofia de não pressionar a roubada, mas sim não deixar espaço para arremesso, é visto no stat adjusted tempo, no qual os Aztecs é o 19º time mais lento, que mais cadencia o jogo em todo o país. Faz com que o adversário tenha que rodar muito a bola, trabalhar bem a jogada antes da definição do ataque. Pelo lado defensivo, San Diego State leva o arremesso após 18.3 segundos, enquanto SDSU finaliza, em média, com 18.1 segundos no relógio, e isso dá a 266ª posição no país.

Defendendo, possui a segunda melhor eFG% da liga inteira, sendo o 9º defendendo o perímetro, 2º protegendo toda a área de 2 pontos e o 4º em Block%. Dentro dos 2pts jumpers, San Diego State consegue segurar os oponentes a 27,9% de FG e tem um percentual de shot blocked de 13,4%. Olhando para o perímetro, os adversários de SDSU converteram apenas 30.0% de FG.

Talvez o grande defeito da equipe é não pegar rebotes. Às vezes o preço sai caro. Mas o fator recomposição defensiva compensa essa falha. Em situações em que SDSU não pega o rebote e o adversário define o ataque com menos de 10 segundos, o eFG% é de 42,7%, enquanto quando o oponente de SDSU define de 10 a 30 segundos o eFG% é de 44,6%. Ou seja, é melhor pegar o rebote trabalhar a jogada, porque o poder de recomposição dos Aztecs é muito alto. Comparando o jogo de transição entre Valpo (1ª em Adj. Def. Eff. do país), Valpo leva 47,1% de eFG%, enquanto SDSU sofre 46,7%. Na situação em que San Diego State pontua e o oponente arremessa em até 10 segundos, o aproveitamento é de 37,3% de eFG%.

O segredo desse 9-0 na MW de San Diego State é realmente a defesa e eu não duvido que os Aztecs podem chegar ao final da regular conferencional liderando o país nesse lado da quadra.

Gregg Popovich e seu início em Air Force



Gregg Popovich nasceu em East Chicago, Indiana, fez High School em Merrillville High School e estudou na United States Air Force Academy. Durante sua passagem pela universidade, em 1966-70, Coach Pop jogou pelo time de basquete dos Falcons. Não é muito fácil coletar dados da época, imagina de um programa pequeno, mas eu consegui alguma coisa.



Pop (ou Popo na época), durante seu Senior Year, foi líder, capitão e leading scorer de Air Force com 14,3 pontos de média com aproveitamento de .559 dos arremessos, .796 do lance livre e 4,5 rebotes por jogo. Não era lá essas coisas, não conseguiu conquistar nada por Air Force como jogador, mas os primeiros passos foram dados lá.



Serviu por cinco anos a United States Air Force, onde, em 1972, foi capitão da Armed Forces Team, no qual foram campeões da Amateur Athletic Union (AAU). Em 1973, Pop retornou à Air Force Academy como assistente técnico de Hank Egan e permaneceu por lá durante seis anos. Egan viraria assistente técnico de Gregg no San Antonio Spurs.


(Gregg Popovich agachado no canto esquerdo com a camisa 20 - 1970)

Durante essa passagem como assistente técnico do time de basquete de Air Force, Pop se formou pela University of Denver em Educação Física e Sports Sciences. Em 1979, ganharia o cargo de técnico no time de Pomona-Pitzer. Lá conseguiria o primeiro título, desse pequeno programa, em 68 anos. Permaneceu até 1986, ano em que se tornaria assistente técnico voluntário de Larry Brown (atual técnico de SMU) para ganhar conhecimento. Ficou com Coach Brown até 1987, ano que retornaria à Pomona-Pitzer. Terminou sua passagem por Pomona-Pitzer com record geral de 76 vitórias e 129 derrotas, 41-49 dentro da conferência, 1 título conferencional e um 4º lugar na NCAA D-III.


(Como técnico de Pomona-Pitzer)

Em 1988, após sair de Pomona-Pitzer, Pop se juntaria a Larry Brown no comando do Spurs. San Antonio contou com a dupla de 1988 a 1992 e Pop era o principal assistente técnico de Brown, nesse período, até serem demitidos por Red McCombs. Gregg, depois de sua saída do Spurs, foi parar no Warriors para ser assistente técnico de Don Nelson no ano de 1992, levando junto o armador Avery Johnson (atual técnico de Alabama).



Em 1994, Pop retorna ao Spurs como general manager, após Peter Holt comprar a franquia. Os primeiros movimentos de Pop: trazer Avery Johnson de volta para ser o PG starter e mandar Dennis Rodman em troca de Will Perdue. Na temporada de 1996-97, após o início 3-15, com David Robinson encostado devido a uma lesão nas costas, Pop demitiu o então técnico Bob Hill e se nomeou como novo técnico do Spurs.



O restante da história é o grande sucesso de Popovich e o Spurs desde 1996-97. Cinco vezes campeão da NBA (1999, 2003, 2005, 2007 e 2014), três vezes Coach of the Year (2003, 2012 e 2014) e quatro vezes técnico do All-Star Game (2005, 2011, 2013 e 2016). Aqui fica um pouco da história de Coach Pop e seu início nessa conferência maravilhosa. Aliás, o Spurs sabe garimpar na Mountain West. Kawhi Leonard saiu de San Diego State e Becky Hammon saiu de Colorado State. Ademais, Becky foi a primeira técnica mulher a comandar um time na Summer League e logo no primeiro ano foi campeã com o Spurs (2015). Outro feito de Becky é ser a primeira mulher nomeada para o All-Star Game no Coaching Staff (2016).



O principal pilar do Spurs saiu de Air Force e o futuro do Spurs está sendo garimpado da MW também. Muito bom poder acompanhar isso.